Campeonato Brasileiro 2013 – O que esperar do segundo turno (Parte II)

Como fica a luta para fugir da degola após o fim do primeiro turno do Campeonato Brasileiro

 

Para ler a primeira parte deste especial, clique aqui.

Os que pensam que o importante em um torneio é a disputa pelo primeiro lugar, subestimam que a verdadeira luta acontece na metade inferior da classificação.

O Segue o Jogo assumiu a inglória tarefa de prever o futuro próximo dos 10 clubes desesperados ou em vias de se desesperar. Tudo na mais pura das formas de sabedoria: o achismo desprovido de bom senso.

Admite-se, de partida, que nenhum desses clubes irá disputar o título nem almejar uma vaga na Libertadores-14, por deficiências irreparáveis de pontuação. Tampouco a briga pela classificação para a Copa Sulamiranda-14 (antiga Sul-Americana) será considerada, pois virou esculhambação total.

Junto de cada projeção, contamos com o apoio estatístico do site Chance de Gol.

Criciúma – o Tigre conta com a força de seu alçapão para manter-se no topo do futebol nacional.  Mas não há milagre que o Heriberto Hülse faça e que Fábio Ferreira e Daniel Carvalho não desfaçam. Além de torcer por lesões desses craques, resta ao Criciúma acreditar no trabalho de seu novo técnico ou então recair no espiral que aproxima as equipes ao rebaixamento. Probabilidade de rebaixamento: 12,2%

Vitória – Os primeiros resultados da equipe deixaram um gostinho de que algo mais seria possível. O que nunca foi verdade, mas a Diretoria, que havia acreditado nisso, não demorou para demitir Caio Júnior tão logo os resultados negativos vieram. A contratação de Ney Franco e a chegada do lateral esquerdo Juan poderiam dar novo ânimo à torcida do Leão da Barra, mas isso não deve acontecer.  Probabilidade de rebaixamento: 21,8%

Bahia – Outro time baiano de início ótimo, para espanto dos desatentos que acreditaram ser possível algo mais que lutar para não cair. A magia de Cristovão Borges parece ser incapaz de mudar o verdadeiro objetivo do Esquadrão de Aço, que não vai além de sua manutenção na Série A. A menos que Freddy Addu coloque em prática seus 20 anos de experiência e mostre porque era considerado o novo Pelé. Probabilidade de rebaixamento: 55,1%

Fluminense – Atual campeão nacional e favorito para o bicampeonato, o Fluminense começou surpreendendo a muitos pelo baixo desempenho. Agora não surpreende mais. A contratação de Luxemburgo, aliada a lesões constantes, aposentadoria precoce, vendas e fim da sorte tornam o tricolor carioca sério candidato a rondar o quartil inferior da tabela. E isso sem considerar os problemas com a UNIMED. Probabilidade de rebaixamento: 16,2%

Flamengo – Com um técnico especialista em reestruturação de clubes na Série B e muitos jogadores que não se destacariam nem na divisão de acesso, o time da Gávea ao menos tem mostrado algum padrão tático e os lampejos técnicos de Elias. O Flamengo qualificou seu elenco durante a competição, mas depender de Wallace e de Hernane Brocador só pode significar problemas pela frente. Probabilidade de rebaixamento: 10,7%

Atlético-MG – Outro dos antigos concorrentes ao título, ao menos tem a desculpa do relaxamento pós-Libertadores. O que não deixa de ser uma desculpa muito ruim. A qualidade técnica do plantel deveria ser capaz de sobrepor o fato do Galo não ser um time grande, a preguiça e das perdas na janela de transferência: a venda de Bernard e a vinda de Fernandinho, Mas a sorte que teve na competição continental no primeiro semestre não está se repetindo. Sério candidato a Mazembar no Marrocos. Probabilidade de rebaixamento: 2,1%

Portuguesa – Se cada tempo de futebol tivesse 40 minutos de duração, a Lusa não seria mencionada nesse artigo, tantos foram os gols levados e, subsequentemente, os pontos perdidos nos momentos finais de jogos. O elenco não é nenhuma maravilha, mas pelo menos o time não sofre com a pressão da torcida, já que o Canindé está sempre vazio. E já demonstrou algum poder de superação. Tem tudo para escapar, mas vai ser difícil. Probabilidade de rebaixamento: 38,7%

São Paulo – Na esperança que uma mudança de técnico dê nova vida ao combalido time tricolor, Juvenal Juvêncio contratou Muricy Ramalho 2 meses após tê-lo preterido. E esperança parece ser tudo que resta para um time de plantel limitado e desequilibrado, mas não tão fraco quanto o de seus concorrentes. Aqui e ali encontram-se alguns jogadores que servirão de reforço para alguma equipe de Série A em 2014, a não ser que o Muricybol volte a funcionar. A soberba usual acompanha cada decisão do clube, e isso apenas reforça o posto como provável rebaixado. Probabilidade de rebaixamento: 43,9%

Ponte Preta – A boa campanha no Paulistão (ou Paulistinha) e o fato de contar com William Batoré, um dos artilheiros do certame, não parecem significar muito à Macaca.  Está no Z-4 desde o começo do campeonato e não dá mostras de que vai sair ou mesmo lutar para se salvar. Probabilidade de rebaixamento: 84,2%

Náutico – Já era. Morreu. Kaput. É a pior campanha de um time desde os 15% de aproveitamento do América de Natal, em 2007, e a única graça vai ser acompanha-lo para saber se o recorde de derrotas será batido.  Probabilidade de rebaixamento: 99,9%

 

Concorda, discorda, torce por uma virada de mesa? Comente e compartilhe!

 

A foto da capa é do globoesporte.com

Comments

comments