Campeonato Brasileiro 2014 – O que esperar do segundo turno (Parte I)

O primeiro turno do Brasileirão acabou, mas o espaço dos palpites e da corneta segue intocável.

O Segue o Jogo repete a divertida inglória tarefa realizada em 2013 (aqui e aqui) de apontar o futuro do campeonato após sua primeira metade. Se no ano passado os erros homéricos foram escondidos (Vasco escapando e o São Paulo rebaixado) e os acertos proféticos exaltados (Atlético-MG “sério candidato a Mazembar no Marrocos.”), a correção dos nossos chutes será conhecida apenas após as próximas 19 rodadas. Ou não.

O ano de 2014 criou dificuldades para os analistas futurólogos. Diferentes Diversos clubes foram apontados como candidatos antes, durante e depois da parada obrigatória.

Antes de iniciar o certame, o pool de desqualificados especialistas do UOL apostava em título do Cruzeiro, Inter ou Grêmio, enquanto a ESPN construía um ranking mais crível (embora deveras pessimista em relação aos clubes barriga-verde). Claro, à época pouco se sabia como seriam os efeitos da parada da Copa do Mundo e da janela de transferência. Tampouco se sabia se o campeonato contaria com Palmeiras Fluminense, Portuguesa, Vasco ou Icasa.

A Copa veio e se foi, e com ela os clubes deixaram algumas certezas para trás, assim como algumas perspectivas. Análises de quem se beneficiou da interrupção pulularam na internet. Arnaldo Ribeiro, um dos favoritaços do Segue o Jogo, deu seu novo palpite, e o Podcast #22 trata do mesmo tema.

Assim, o achismo malemolente volta a dar as caras, para determinarmos quem irá disputar o título, o G4 e o rebaixamento em 2014. Junto de cada projeção, contamos com o apoio estatístico do site Chance de Gol.

Cruzeiro – 43 pontos, atual campeão, elenco reforçado e contando com uma boa dose de sorte. Nada parece ser capaz de tirar as mãos do segundo time das Minas Gerais do seu terceiro campeonato brasileiro de verdade. A não ser que a sorte acabe, que Henrique Marcelo Moreno Fábio alguns “craques” passem a jogar o seu futebol real, que inicie o choro anti-eixo e que seus adversários diretos parem de tropeçar. Improvável e, ao que parece, impossível. Uma vitória da manutenção de elenco e do treinador. Probabilidade de ser campeão: 98,1%. Probabilidade de ficar no G4: 99,98%.

São Paulo – Seus 36 pontos tornam a caça à Raposa algo bastante complicado. Equipe que oscila entre “nova Alemanha” e “Fora Muricy” em questão de rodadas, o time do Jardim Leonor da Vila Sônia conta com a qualidade de seu quarteto mágico para manter-se na disputa. A queda de desempenho quando esses jogadores não entram, somado à zaga fraca meio campo limitado laterais ruins goleiro aposentado ao desequilíbrio no elenco acendem um alerta quanto à manutenção do atual momento. Afinal, acredita na regularidade de Denílson, Ganso, Pato e Tolói quem quiser. Probabilidade de ser campeão: 0,8%. Probabilidade de ficar no G4: 68,8%.

InternacionalEterno candidato à taça sétimo lugar, o Colorado parece que vai quebrar a tradição. Contudo, o elenco forte, o técnico ídolo e a boa colocação não parecem ser capazes de diminuir a pressão interna, especialmente após a entrega eliminação na Copa do Brasil e na Sul-Americana. Abelão balança no cargo, e as chances reais do Inter balançam com ele. Manteve Aranguiz, o que conta muito para contrabalancear Williams e Wellington no meio-campo, mas ainda sofre com He-Man e seus esforços visando ao prêmio Deivid. Probabilidade de ser campeão: 0,6%. Probabilidade de ficar no G4: 66%.

Corinthians – O Tite pode ter deixado o clube, mas a empatite continua. Novo técnico e novos jogadores não foram capazes de dar brilho a uma equipe que, se perde poucos jogos e leva poucos gols, muitas vezes parece ser incapaz de aproveitar a chance de vitória, mesmo em seus domínios. São 9 empates, o que resultou na diferença de 10 pontos para o Cruzeiro. O elenco, remodelado após o vexame a derrota para o Santos pode ser bastante promissor para o ano de 2015, mas parece que vai limitar 2014 à disputa pela Libertadores. Probabilidade de ser campeão: 0,1%. Probabilidade de ficar no G4: 41,8%.

Rebaixado Fluminense – Mais um clube que costuma ir do céu ao inferno em poucos jogos. O rebaixado Fluminense já foi apontado como grande candidato a futebol mais bonito do Brasil, mas agora se contenta com a briga pelo G4. Sempre envolto com disputas entre clube e dono patrocinador, agora pode adicionar ameaças da torcida aos fatores de instabilidade que impedem melhor desempenho de Fred, Conca, Sóbis, Cícero, Wagner e companhia. Probabilidade de ficar no G4: 39,1%.

Grêmio – O bom momento do Grêmio pode ser creditado ao retorno de Luiz Felipe Scolari, mas qualquer um que tenha acompanhado a Copa do Mundo prefere acreditar mais no alinhamento dos planetas e na contratação do Giuliano e na fase de Dudu. No geral, o elenco é forte e corre por fora pelo G4. Apesar do pirata Barcos. O momento técnico da equipe corre risco de ser prejudicado caso a punição pela discriminação racial na Copa do Brasil se transpasse ao Campeonato Brasileiro, impedindo o clube de atuar na Arena Grêmio. Probabilidade de ficar no G4: 9,7%.

Atlético-MG – A equipe do eterno dilema reforça a dúvida sobre sua verdadeira condição, com Levir Culpi no comando e sem Bernard Fernandinho Ronaldinho para auxiliar Diego Tardelli e Jô. O excesso de desfalques deve atrapalhar o segundo turno do Galo mineiro, que já não conta com a sorte força de outrora. Tem chances de G4, mas não é onde eu colocaria meu dinheiro. Probabilidade de ficar no G4: 50,7%.

Sport – A estrela promissora de Eduardo Batista parece ter entrado em declínio após várias rodadas de boa colocação. Ou após a contratação de Ibson e de Diego Souza. Os pontos conquistados até o momento dão segurança para se manter na Série A, mas o objetivo final, em outros tempos, seria classificar-se à Sul-Americana. Probabilidade de ficar no G4: 1,3%. Probabilidade de rebaixamento: 2,6%.

Santos – A terceira passagem de Robinho parece estar fadada à disputa da taça Sétimo Lugar, mas isso não significa que o time não proporcione momentos de ótimo futebol. A irregularidade é um dos preços por manter o elenco jovem – e desbalanceado. E por demitir o técnico sem maiores explicações. Probabilidade de ficar no G4: 18,6%.

Flamengo – As rodadas iniciais do Flamengo previam uma catástrofe para o time. A chegada de Eduardo da Silva Vanderlei Luxemburgo, contudo, reanimou o clube, que passou a considerar vôos mais altos como possíveis, o que também não é uma grande verdade. O Profexô pode ser bom, mas não é mágico, e depender de Wallace e Leo Moura não ajuda ninguém. Deve se manter no limbo. Probabilidade de ficar no G4: 2,0%. Probabilidade de rebaixamento: 2,4%.

A segunda parte deste guia, com as equipes fugindo do rebaixamento, pode ser encontrada aqui

Concorda, discorda, vai ter que torcer por uma virada de mesa? Comente, compartilhe e curta a página do Segue o Jogo no Facebook.

A foto de capa é de Buda Mendes e foi retirada do UOL

Comments

comments